Nome científico: Calophyllum brasiliense Cambess., Guttiferae.

Outros nomes populares: cachincamo, cedro-do-pantano, cedro-mangue, guanandi, guanandi-carvalho, guanandi-cedro, guanandi-piolho, guanandi-rosa, landi, landim, mangue, oladim.

Nomes internacionais: aceite (Colômbia), aceite maria, alfaro (Peru), bella maria (Equador), jacareuba (BSI,1991), koerli, kurahara (Guiana), lagarto caspi (Peru), lorahara (Suriname), maria (Equador), ocuje (Cuba), palo maria (Suriname; Venezuela), santa maria (ATIBT,1982).

Ocorrência:
• Brasil: Amazônia, Mata Atlântica, Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo.
• Outros países: América Central, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname, Venezuela.

CARACTERÍSTICAS GERAIS

Características sensoriais: cerne e alburno pouco distintos pela cor; cerne bege-rosado tendendo para castanho, em alguns espécimes observam-se pequenas manchas longitudinais de coloração castanha mais escura; cheiro e gosto imperceptíveis; densidade média; moderadamente dura ao corte; grã irregular; textura média; superfície lustrosa.

Descrição anatômica macroscópica:
• Parênquima axial: visível apenas sob lente, em faixas contínuas ou interrompidas, afastadas.
• Raios: visíveis apenas sob lente no topo e na face tangencial; finos; poucos.
• Vasos: visíveis a olho nu, médios; muito poucos a poucos; porosidade difusa; arranjo diagonal; solitários; obstruídos por tilos.
• Camadas de crescimento: indistintas.
• Máculas medulares: presentes em alguns espécimes.

Fonte: (IPT,1983; IPT,1989a)

Características Cedro Mangue

Características Cedro Mangue

Características Cedro Mangue

CARACTERÍSTICAS DE PROCESSAMENTO

Trabalhabilidade: A Madeira de jacareúba é relativamente fácil de ser trabalhada. Retém pregos e parafusos com firmeza e não apresenta grandes dificuldades na colagem. (Jankowsky,1990) Fácil de serrar, ocasionalmente a presença de resina pode causar problemas. É boa para faquear e desenrolar. Pintura e envernizamento podem ser aplicados sem problemas. (CTFT/INPA,s.d.)

Secagem: A secagem ao ar livre deve ser cuidadosa, pois a Madeira apresenta alta tendência ao surgimento de rachaduras e empenamentos. (Jankowsky,1990; CTFT/INPA,s.d.) A secagem em estufa deve ser feita com precaução e somente para peças com pouca grã entrecruzada. (CTFT/INPA,s.d.)

Programa de secagem podem ser obtidos em (CTFT/INPA,s.d.; Jankowsky,1990)

DURABILIDADE / TRATAMENTO

Durabilidade natural: Madeira susceptível ao ataque de perfuradores marinhos, mas moderadamente resistente aos térmitas. (Berni et al.,1979) Moderadamente resistente aos organismos xilófagos. (IPT,1989a) Boa resistência aos fungos de podridão parda e branca, não susceptível ao ataque de Lyctus e baixa a média resistência ao cupim subterrâneo (Reticulitermes santonensis). (CTFT/INPA,s.d.)

Tratabilidade: alburno permeável à impregnação e cerne impermeável. (Berni et al.,1979)

PROPRIEDADES MECÂNICAS

Flexão:
• Resistência (fM):
Madeira verde: 62,4 MPa
Madeira a 15% de umidade: 80,4 MPa
• Limite de proporcionalidade – Madeira verde: 33,6 MPa
• Módulo de elasticidade – Madeira verde: 9277 MPa

Resultados obtidos de acordo com a Norma ABNT MB26/53 (NBR 6230/85).
Fonte: (IPT,1989a)

Compressão paralela às fibras:
• Resistência (fc0):
Madeira verde: 32,0 MPa
Madeira a 15% de umidade: 48,5 MPa
• Coeficiente de influência de umidade: 3,0 %
• Limite de proporcionalidade – Madeira verde: 23,8 MPa
• Módulo de elasticidade – Madeira verde: 12562 MPa

Resultados obtidos de acordo com a Norma ABNT MB26/53 (NBR 6230/85).
Fonte: (IPT,1989a)

PROPRIEDADES MECÂNICAS

Outras propriedades:
• Resistência ao impacto na flexão – Madeira a 15% (choque): 17,6
• Cisalhamento – Madeira verde: 9,1 MPa
• Dureza janka – Madeira verde: 4060 N
• Tração normal às fibras – Madeira verde: 5,1 MPa
• Fendilhamento – Madeira verde: 0,6 MPa

Resultados obtidos de acordo com a Norma ABNT MB26/53 (NBR 6230/85).
Fonte: (IPT,1989a)

PROPRIEDADES FÍSICAS

Densidade de massa (r):
• Aparente a 15% de umidade (rap, 15): 620 kg/m³
• Básica (rbásica): 517 kg/m³

Contração:
• Radial: 5,6 %
• Tangencial: 8,7 %
• Volumétrica: 16,9 %

Resultados obtidos de acordo com a Norma ABNT MB26/53 (NBR 6230/85).
Fonte: (IPT,1989a)

USOS

Construção civil

  • Leve interna, decorativa: lambris, painéis, forros
  • Leve interna, estrutural: ripas, partes secundárias de estruturas

Mobiliário

  • Alta qualidade: revestimento (lâmina) de móveis decorativos

USOS

Outros usos

  • Tanoaria
  • Montantes de escadas singelas ou extensíveis
  • Embalagens

Fonte: IPT.br