Nome científico: Eucalyptus saligna Sm., Myrtaceae.

Outros nomes populares: eucalipto, saligna.

Nomes internacionais: blue gum (Austrália), sidney blue gum (Austrália).

Ocorrência:
• Brasil: Bahia, Góias, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo.
• Outros países: África do Sul, Chile, Congo, Malauí, Nigéria, Nova Zelândia, Quênia, Zaire.

 CARACTERÍSTICAS GERAIS

Características sensoriais: cerne e alburno distintos pela cor, cerne avermelhado ou castanho-avermelhado-claro; cheiro e gosto imperceptíveis; densidade média; grã direita; textura média.

Descrição anatômica macroscópica:
• Parênquima axial: indistinto mesmo sob lente; as vezes paratraqueal vasicêntrico formando confluências curtas e oblíquas.
• Raios: visíveis só sob lente no topo e na face tangencial.
• Vasos: visíveis só sob lente no topo e na face tangencial; porosidade difusa, disposição diagonal; numerosos, médios, exclusivamente solitários; obstruídos por tilos.
• Camadas de crescimento: variando de distintas a indistintas.

Características Cucalipto-Saligna

Características Cucalipto-Saligna

Características Cucalipto-Saligna

CARACTERÍSTICAS DE PROCESSAMENTO

Trabalhabilidade: A madeira de eucalipto-saligna é considerada fácil de ser desdobrada quando utilizados os métodos adequados. É fácil de ser trabalhada em operações de usinagem (torneamento, furação e lixamento). Apresenta bom acabamento. (IPT,1989b)

Secagem: A secagem é classificada como rápida com a ocorrência de rachaduras e empenamentos. (IPT,1989b)

Movimentação da madeira em uso:  moderada.

DURABILIDADE / TRATAMENTO

Durabilidade natural: Cerne considerado de moderada a baixa resistência aos organismos xilófagos.

Tratabilidade: cerne impermeável às soluções preservativas mesmo quando submetida à impregnação sob pressão, porém o alburno é fácil de tratar.

PROPRIEDADES MECÂNICAS

Outras propriedades:
• Resistência ao impacto na flexão – Madeira a 15% (choque):
Trabalho absorvido: 32,2
Coeficiente de resiliência R: 0,52
• Cisalhamento – Madeira verde: 9,2 MPa
• Dureza janka paralela – Madeira verde: 4531 N
• Tração normal às fibras – Madeira verde: 6,3 MPa

Resultados obtidos de acordo com a Norma ABNT MB26/53 (NBR 6230/85)
Fonte:
(IPT,1989b)

Flexão:
• Resistência (fM):
Madeira verde: 77,4 MPa
Madeira a 15% de umidade: 101,6 MPa
• Limite de proporcionalidade – Madeira verde: 29,7 MPa
• Módulo de elasticidade – Madeira verde: 11876 MPa

PROPRIEDADES MECÂNICAS

Compressão paralela às fibras:
• Resistência (fc0):
Madeira verde: 32,1 MPa
Madeira a 15% de umidade: 49,2 MPa
• Coeficiente de influência de umidade: 4,6 %
• Limite de proporcionalidade – Madeira verde: 25,1 MPa
• Módulo de elasticidade – Madeira verde: 13288 MPa

PROPRIEDADES FÍSICAS

Densidade de massa (r):
• Aparente a 15% de umidade (rap, 15): 690 kg/m³ (IPT,1989a)

Contração:
• Radial: 6,8 %
• Tangencial: 13,4 %
• Volumétrica: 23,4 %

USOS

Construção civil

  • Pesada externa: postes, mourões, cruzetas
  • Pesada interna: caibros, vigas
  • Leve interna, estrutural: ripas

Mobiliário

  • Utilidade geral: móveis estândar, partes internas de móveis inclusive daqueles decorativos

USOS

Assoalhos

  • Tacos

Outros usos 

  • Lâminas de utilidade geral
  • Chapas compensadas
  • Embalagens

Fonte: IPT.br